domingo, 21 de setembro de 2008

Programas turísticos

Vou listar algumas das principais atrações turísticas da cidade. Farei um breve descritivo e depois faço uma recomendação de roteiros para os 3 dias que você ficar aqui.

Parque Barigui – Principal parque da cidade é muito movimentado aos domingos e nas manhãs de sábado, quando os boêmios de plantão vão ver os atletas de fim de semana correr. É uma cena interessante pra quem mora aqui, mas como vcs vem para ficar poucos dias recomendo apenas se estiver sobrando tempo.

Ópera de Arame / Pedreira – O lugar é muito bonito e fica numa região muito bonita. A Ópera de Arame é um teatro de médio porte construído totalmente em metal e cravado em uma antiga pedreira. Certamente você já viu fotos do local e vale uma passada rápida. Junto ao Ópera e no restante da área da pedreira foi feito um espaço para shows com capacidade para umas 80 mil pessoas, porém o lugar atrapalhava o sossego dos moradores e está meio que proibido. Ambas as obras foram feitas pelo prefeito Jaime Lerner.

Museu Oscar Niemayer (museu do olho) – Mais uma obra do Lerner, mas essa enquanto ele era governador. O museu é uma homenagem ao Oscar Niemayer, foi projetado por ele e leva seu nome. Alem de muito bonito ele fica na região do Centro Cívico, sede do governo estadual e municipal e também vale a pena uma passada rápida para fotos e para conferir o olho com os próprios olhos.

Jd. Botânico – Um bosque com uma estufa de plantas e um jardim inspirado no jardim de Luxemburgo em Paris. É um dos cartões postais de Curitiba e também recomendo. Advinha quem fez?

Teatro Guaira / UFPR Santos Andrade – Aqui são dois prédios muito bonitos e muito diferentes, um em frente ao outro. Duas construções que orgulham muito quem é daqui. O Guaira é o principal teatro do estado e um dos maiores do país e na sua frente, separados por uma longa praça está o prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (primeira universidade do Brasil). O teatro tem linhas modernas enquanto a federal tem linhas clássicas. Na praça acontecem grandes mobilizações populares (reivindicações estudantis, era um ponto de encontro das manifestações do Fora Collor, greves e etc...) e logo atrás do prédio da federal inicia-se a “Boca Maldita” a primeira rua do Brasil transformada em calçadão com transito de veículos proibidos.

Boca Maldita, Calçadão da XV ou Rua das Flores (É tudo a mesma coisa, mas com vários nomes diferentes) - Com a proibição do transito de veículos acabou virando uma enorme rua de comercio, porém entrou em decadência nos anos 90 devido ao abandono da prefeitura e acabou concentrando muitas lojas público C e D. Está passando por um processo de reestruturação pela atual gestão e começa a voltar aos velhos tempos. Acho que nada é mais curitibano que a Boca Maldita. Se tiverem alguns minutos vale a pena passear e tomar um café, principalmente em dias frios.

Torre da Telepar – Construída pela então estatal de telefonia do estado essa torre permite uma vista panorâmica de Curitiba. Sua altura equivale a um prédio de 40 andares, se não me engano.

Praça Tiradentes – Onde tudo começou. Essa praça é o marco zero da cidade e recentemente foi restaurada. Acho que é um lugar mais interessante para quem é daqui do que para Turista, mas como ficará bem perto do hotel pode valer uma passadinha. A catadral da cidade também fica lá.

Largo da Ordem – Um dos meus lugares preferidos, o Largo é a antiga cidade. Com um conjunto de casarões do século XVIII e uma calçada de paralelepípedos concentra uma grande quantidade de barzinhos, cafés, sebos, restaurantes, gente e outros tipos estranhos. Aqui também acontece feirinha Hippie e vcs precisam visitar, mas falaremos disso depois.

Santa Felicidade – O bairro italiano de Curitiba concentra uma quantidade enorme de restaurantes italianos e alguns de outros tipos. Acho que é um programa obrigatório para Turista, apesar de todo curitibano saber que não é o melhor lugar da cidade para comer. Recomendo o Madalosso por ser o mais tradicional e estar no Guinnes Book como o segundo maior restaurante do mundo.

Arena do Atlético – Na minha opinião um ponto turístico mais importante que as pirâmides do Egito, Torre Eiffel, Pão de Açúcar e estátua da liberdade juntos. Se bem que nesse caso minha opinião não importa muito, pois sou atleticano. É o estádio mais moderno do Brasil, ou como diz a imprensa do eixo Rio-São Paulo “um dos mais modernos”, mas nunca citam quais são os outros. Não é um programa para meninas, a não ser que vcs sejam fanáticas por futebol, mas como não é só um estádio, e sim o Estádio, está na relação. Além de poder ser visitado por um custo de uns R$ 3,00 tem uma grande loja de materiais esportivos da Umbro e uma das melhores churrascarias da cidade, além do Prajá que é um tradicional bar ponto de encontro da torcida do Furação.

Bi-articulado – Esses são os principais ônibus de Curitiba. Eles ligam quase todos os lugares da cidade e andam por canaletas restritas que só eles podem andar. O embarque também é diferente, pois ele é feito por plataformas (estações tubo) para que as pessoas não percam tempo subindo as escadas do ônibus. Com isso o embarque/desembarque fica bem mais rápido. Não ia colocar isso como atração turística, mas depois que rolou por aqui um vídeo de uma turma do Rio rindo dos ônibus acho que virou atração. http://www.youtube.com/watch?v=Q1bjx3ld2pI&mode=related&search=

Obs. Quase todas essas atrações podem ser vistas pela linha turismo. Um ônibus especial com informações turísticas que circula por uns 25 lugares e dá acesso a 3 desembarques. O ponto inicial é a praça Tiradentes e a tarifa custa uns R$ 20,00.

Compras.
Acho que em Curitiba as coisas são relativamente baratas em relação ao Rio, mas por outro lado as opções não são muitas. Vou colocar algumas sugestões de locais e pontos que podem ser interessante.

ParkShoppingBarigui – O maior shopping da Cidade fica um pouco distante do hotel, mas certamente será um tarde de diversões.

Shopping Mueller – Bem próximo ao hotel. Não é o maior, mas acho que é o que o curitibano mais gosta. O mais tradicional.

Sapatos – Curitiba tem uma rua que concentra uma quantidade enorme de lojas de sapatos. Como sei que mulheres adoram lojas de sapatos recomendo um passeio pela Barão de Teffe.

Antiguidades, sebos, artesanato – Esse é obrigatório. No domingo pela manhã acontece a feirinha hippie. Uma grande quantidade de artesãos vendem suas produções no Largo da Ordem e no local também existem muitas lojas de antiguidades, sebos e pequenos objetos. Acho que vocês vão gostar.

Shopping Crystal – é um shopping bem pequeno, mas fica no Batel, bairro mais luxuoso da cidade, e por isso concentra lojas com um perfil A.

Loja de Couro – Não me recordo de nenhuma grande opção de artigos de couro em Curitiba. Os shoppings geralmente tem lojas desse produto, a Alci comprou alguma coisa no Mueller e recomendo a Couro Pele http://www.couropele.com.br/ que fica na Av. Comendador Franco nº 835.

Gastronomia.
Se as compras não são nosso forte a gastronomia é. Comer em Curitiba é barato e existem ótimos restaurantes. O prato típico paranaense é o Barreado (carne bovina cozida por 24 horas até desmanchar), mas estranhamente não é muito fácil encontra um bom barreado em Curitiba, já que aqui as atenções vão mesmo para uma boa churrascaria.

Comida Árabe – Adoro comida Árabe, mas tinha um certo preconceito por achar que Habib’s representava essa cozinha. Depois que descobri esses restaurantes passei a comer em média uma vez por semana o conjunto esfira + arroz com lentilha.
Cantinho Árabe bem pequeno, mas uma das melhores esfiras que já comi. Levei a Alci lá, mas no dia a esfira não estava das melhores. Uma refeição pra 2 pessoas custa uns R$ 25,00.
Oriente Árabe esse é bem tradicional e fica no Largo da Ordem, próximo ao hotel. Uma refeição pra 2 pessoas custa uns R$ 45,00.

Churrascaria – Uma das especialidades da cidade. As churrascarias aqui servem muita massa e em algumas até um vegetariano come muito bem.
A KF (fica próximo ao ParkShopping Barigui) pra mim é a melhor, principalmente pelas massas doces que servem como sobremesa (nhocci frito ao molho de chocolate, chocolate branco ou doce de leite e também o conglione de banana). Uma refeição para duas pessoas custa uns R$ 70,00.
Napolitana Arena que fica dentro da Arena do Atlético. Uma refeição para duas pessoas custa uns R$ 80,00.
Curitibana que foi uma das precursoras nas massas com qualidade. Uma refeição para duas pessoas custa uns R$ 65,00.

Italiana – Como falei antes Santa Felicidade tem que ser incluída pela questão turística, mas outras boas opções de restaurantes italianos são o Spagueto (para mim uma das melhores relações custo benefício de Curitiba) e o Fornão (em ambos uma refeição para duas pessoas custa em torno de R$ 40,00)

Comida Alemã – Aqui a comida alemã é bem presente e eu sou um fã dessa cozinha. Ela utiliza muito o embutido, carne de porco e sabores ácidos. Os melhores restaurantes são:
Cantinho do Eisben (eisben assado é o joelho do porco, prato que eu recomendo). É o melhor, mas acho que o próximo vale mais a pena pra quem vem de fora.
Bar do Alemão (na verdade se chama Schwarzwald, mas como ninguém consegue falar isso virou o bar do alemão) fica no Largo da Ordem e é um dos melhores lugares para turistas da cidade. A comida é ótima, o atendimento também.
Bar Schimmel fica na Dês. Hugo Simas, 1873. É o mais estiloso, garçons com sotaque alemão e um lugar bem legal, mas não é muito conhecido aqui em Curitiba.

Barreado – Um dos pratos típicos do estado. Como falei antes não é muito comum aqui em Curitiba, mas recomendo um almoço de sábado no Beto Batata do Shopping Barigui. Lá tem o melhor barreado que já comi aqui. Só por curiosidade, o verdadeiro barreado nós comemos em Morretes, uma cidadezinha que fica na Serra do Mar, com 80.000 habitantes que é uma jóia, mas isso fica para outra viagem.

Outras opções – Algumas sugestões de “restaurantes alternativos”, mas muito bons.
Madeiro – Fica no Largo da Ordem e se auto-intitula o melhor hambúrguer do mundo. Não sei se é o melhor do mundo, mas é o melhor que já comi. Um hamburger custa uns R$ 25,00 (uma aberração numa cidade onde um ótimo rodízio custa o mesmo valor), mas vale quanto pesa.

Swadisht – Ótima comida indiana. Se você gosta ou se quiser experimentar eu recomendo. Ele fica na Princesa Izabel, uma rua que tem vários restaurantes A+ da cidade.

Av. Batel – É uma região que tem muitos barzinhos e restaurantes. A principal Av. de Curitiba quando falamos de sofisticação. No final da Av. Batel existem restaurantes de comida mexicana (Tacco El Pancho), irlandesa (Sheridan's), russo (Soviets), tailandês (Taj), Rock a Billie (Peggy Sue) e muitos outros.

Costelão 24 horas – Isso é uma invenção nossa e deu muito certo por aqui. Como a costela bovina precisa de muito tempo para ser assada e os pinguços que voltavam pra casa de madrugada viviam com fome um dono de restaurante teve a idéia de colocar a costela para assar em turnos diferentes e servir durante o dia todo. Hoje é impossível achar um curitibano baladeiro que nunca tenha forrado a pança com costela as 4, 5 ou 6 da manhã. O número de casas desse tipo na cidade é enorme, acredito que pelo menos 20 e por mais que eu não recomende para vocês vale informar.

Cini Gengibirra – Isso não é restaurante, mas sim um refrigerante. A Cini é uma empresa local que produz gasosa (forma como refrigerante era chamado por aqui antes do advento da globalização e da rede globo). Entre os sabores exóticos estão o Gengibirra que era uma cerveja (birra do italiano) feita de gengibre, mas que deixou de ser cerveja e virou refri há uns 50 anos e a de framboesa. Essas gasosas não são encontradas em restaurantes e precisam ser compradas em padarias e supermercados.

Pinhão – O pinhão é a semente do pinheiro araucária e está para um paranaense mais ou menos como o chimarrão está para o gaúcho. O problema é que o pinhão só é colhido no inverno, por isso não podemos andar por ai nos exibindo como eles fazem com a cuia. Não vou entrar no mérito se ele é bom ou ruim, até pq não conheço um paranaense que não goste e não conheço ninguém de fora que goste. Não tem muita explicação, o pinhão tem gosto de pinhão, é um símbolo e se vcs acharem pinhão cozido experimentem um.

Um comentário:

Giovanna disse...

Precisamos ir no Estrela da Terra para comparar os barreados. Acredito que lá seja melhor, pois a única vez que comi o do Beto Batata, achei estranho.