sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Acessos 2010

Revendo os dados de acesso do blog identifiquei que em 2010 o Latitude foi visualizado de 34 países. A maioria absoluta de acessos é do Brasil, obviamente, mas outros países também aparecem bem cotados no número de acessos, entre eles Estados Unidos (graças ao Ota) e Inglaterra (graças a Lu).

De 2009 para 2010 o número de países que geraram visitas ao site cresceu de 32 para 34, mas o número de visitantes cresceu aproximadamente 31%.

Desde o início do Latitude já recebemos visitantes de 45 países, sendo que apenas 2 da África. Também sei que muitos desses acessos acabam acontecendo por algum tipo de engano, mas vale o registro.

A relação final de acessos em 2010 ficou assim:

Angola
Argentina
Austria
Belgium
Bermuda
Brazil
Canada
Chile
Colombia
El Salvador
Finland
France
Germany
Ireland
Italy
Japan
Mexico
Netherlands
New Zealand
Panama
Paraguay
Philippines
Poland
Portugal
Russia
Saudi Arabia
South Korea
Spain
Sweden
Switzerland
United Kingdom
United States
Venezuela

Retrospectiva 2010

Vou postar aqui os meus 3 posts preferidos em cada categoria. Fica sendo um resumão do ano.

Política:

3° - Collor. Cidadão Honorário do Paraná.
Uma pequena pérola do deputado Fábio Camargo. O gênio tentou dar o título de cidadão honorário do Paraná ao sr. Fernando Collor de Melo. Repugnante.


2° - O Pensador
Uma retratação parcial, para o bem e para o mal, dos governos Jaime Lerner e do próprio arquiteto.


1° - O Paraná que queremos.
Um movimento exemplar, que não serviu de nada. Em maio o Paraná se movimentou contra a corrupção dos deputados, infelizmente eles foram reeleitos.


Restaurantes:

3° - Maria Polenta.
O Maria Polenta foi uma supresa positiva. Com uma proposta interessante o restaurante especializado em polentas é barato e interessante. Vale uma visita.


2° - Hamburgueria Barba Negra.
Um lugar despojado e bem pensado. Amigo das bicicletas e cheio de estilo. O Barba Negra é show e merece um segundo lugar.


1° - Churrascaria do Ervin
Demorou muito para postar sobre o Ervin, mas pela tradição e, principalmente, pelo alcatra espetacular servido no lugar o Ervin ficou em primeiro.

Ruas de Curitiba:

3° - Riachuelo
Finalmente a Riachuelo voltou a fazer parte do mapa da cidade. Depois da revitalização o lugar começa a ter vida.


2° - Balões, Passeio Público e Catedral
Um pequeno acumulado de informações sobre balões e loucos que já fazem parte do nosso folclore e história.


1° - Dalton Trevisan
Uma reportagem genial feita pelo Jornal da Globo de 1993, comemorando os 300 anos de Curitiba em que mostram o Vampiro de Curitiba.


Turismo

3° - Corrente Cultural
Um movimento que agitou Curitiba e espalhou cultura, arte e diversão pela cidade toda.


2° - Ano Novo em Curitiba
O Natal em Curitiba é muito famoso, mas só percebi a força que tem o ano novo em Curitiba depois desse post. Não temos os fogos de Copacabana ou de Floripa, mas temos potencial para crescer.


1° - Ilha do Mel
A Ilha é uma beleza. Demorei muito para conhecer a melhor parte do litoral do Paraná, mas certamente volterei com frequêcia.

Geral

3° - Future Cities
Matéria da CNN sobre Curitiba em um programa que fala sobre desenvolvimento urbano


2° - Isso é Curtiba
Uma imagem vale por mil palavras.


1° - Raio X do Lixo
Matéria do Fantástico inflando o ego de 1.8 milhões de habitantes.


Posts Preferidos.
Os 3 posts que mais gostei de escrever durante o ano. Destaque total ao da Expedição, que foi composto em campo e em ótima companhia. Tão legal que ganhou um Tag e não um post.

Ilustre Morador

Mês do Cachorro Louco

Expedição Latitude


*Compras não rendeu um tópico, afinal, sou nada consumista.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Bonsai de Araucaria Angustifolia


Sempre quis um bonsai de Pinheiro Araucária. Sempre ouvi falar que isso não existia, pois era impossível a criação de bonsai com esse tipo de planta. Me dei por vencido e desencanei.

Há poucos dias um amigo me falou que viu um desses bonsais e que era uma novidade, pois até então ninguém tinha conseguido fazer um Pinheiro enorme virar uma árvore em minuatura.

Garimpando a net não encontrei nenhuma informação sobre aonde está essa miniatura, mas consegui encontrar uma foto que estou postando aqui.

Se alguém souber mais alguma informação sobre esse bonsai, por favor, deixe um comentário.

#orgulhodesercuritibano

Hoje acordei e enquanto dava minha garimpada na internet vi que o hashtag #orgulhodesercuritibano estava em primeiro nos trending tópics Brasil. O motivo não ficou claro para mim e acho que ninguém ao certo entendeu direito o que fazia Curitiba nos TT do Twitter. Tentei encontrar uma explicação, mas me parece que foi um movimento iniciado do nada por um grupo de curitibanos e que acabou se alastrando. Ao que tudo indica deu certo.

Ok, somos muito orgulhosos da nossa cidade, ao menos boa parte da população é, mas seria interessante que toda a galera que twittou o orgulhodesercuritibano também desse sua contribuição para pressionar os políticos a respeitarem um pouco mais o nosso orgulho. Que tal um hashtag #vergonhadaassembléiadoparaná ou #governovai,governovem,onepotismoestásempreporai. Temos muito para nos orgulhar de Curitiba, mas sem dúvida alguma temos muito que fazer para deixar essa cidade como queremos, ou como achamos que ela é.

http://twitter.com/#search?q=orgulhodesercuritibano

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

A Curitiba Perfeita.

Hoje voltei da praia e me deparei com a cidade perfeita. Curitiba está vazia, poucos carros nas ruas, pouca pressa, pouca urgência, pouca normalidade.
Curitiba dessa segunda-feira aparenta ser a cidade que foi planejada no século passado. A Curitiba de hoje lembra um pouco a cidade dos anos 80, com espaço para todos seus moradores e respeito entre eles. Nenhuma buzina nervosa no trânsito, nenhum congestionamento, nenhum ônibus super lotado, táxis livres nas ruas, parques movimentados, mas não abarrotados. Uma vidinha calma e quase acanhada.

Dá saudades dessa realidade que todos nós contribuímos um pouquinho para acabar.

Nessa semana Curitiba é imperdível, principalmente para quem é curitibano.

domingo, 19 de dezembro de 2010

157 anos de Paraná

Hoje estamos comemorando os 157 anos de emancipação política do Paraná. A verdade é que de comemoração eu não vi nem ouvi nada. O único evento que tomei conhecimento foi a reinauguração do Palácio Iguaçu, sede do governo estadual e que passou por uma grande reforma.

Não sei se houve outro tipo de comemoração. Não sei se tivemos alguma festa popular pelo estado, mas fica aqui minha homenagem e para ajudar a galera a valorizar um pouco mais nossa história estou colocando abaixo um link que encontrei no Portal Educacional do Grupo Positivo e que conta um pouco disso tudo. Começa no século XVI e vai até a colonização do interior, no início do século passado.

Boa leitura. Clique aqui.

Churrascaria do Ervin.


O Ervin é uma das churrascarias mais tradicionais de Curitiba. Pouca gente sabe, mas o local começou como sorveteria, passou por um restaurante de sortidos e frango com risoto e hoje em dia é um lugar simples, mas com uma carne excelente.

Fui ao Ervin poucas vezes, três ou quatro, mas a verdade é que essa estatística tende a mudar, pois no último mês estive por lá em duas oportunidades. O local é perfeito para um almoço de família e para quem gosta de churrasco, mas não quer encarar o exagero de um rodízio. No Ervin você escolhe o prato, pode completar com alguns acompanhamentos e pronto. Tudo por um preço justo.

O tradicionalismo fica evidente nas paredes, decoradas com fotos antigas e anúncios do início do século passado. Na entrada existe uma parede com mensagens deixadas a giz por ilustres moradores da cidade e também um menino maluquinho desenhado pelo próprio Ziraldo exclamando um "Nunca fui tão feliz". Pode ser exagero, mas a verdade é que a simplicidade e qualidade do Ervin faz com que qualquer carnívoro curitibano saia de lá muito feliz.

http://www.churrascariaervin.com.br

sábado, 18 de dezembro de 2010

Linha Natal

Começa a funcionar às 20h desta sexta-feira (17) a Linha Especial de Natal, ônibus do tipo jardineira, que percorrerá até o próximo dia 23 diversos pontos com decorações natalinas em toda a cidade. O ônibus especial sairá a cada 30 minutos, das 20h às 21h30, do ponto em frente ao Paço Municipal, na praça Generoso Marques.

A tarifa custa R$ 10,00. Não haverá embarques ao longo do itinerário da linha. Crianças com menos de cinco anos não pagam. Ao longo do trajeto, o ônibus passará por nove endereços especialmente decorados para o Natal.

Além do Paço Municipal, a linha passará pela Prefeitura, no Centro Cívico; praça Tiradentes; Palácio Avenida, praça Oswaldo Cruz; Castelo do Batel; praça do Japão; portal de Santa Felicidade; casa da Família Dalla Stella, também em Santa Felicidade, e o presépio da Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Alto da Glória.

Para maiores informações, ligue para o Disque Turismo da Prefeitura de Curitiba: (41) 3352-8000.

Com informações da Prefeitura de Curitiba.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Future Cities

Curitiba foi destaque no programa Future Cities da Rede Americana CNN. Abaixo estou postando o vídeo, em inglês, obviamente.

Pedreira é Nossa.

Legal a atitude. Foi realizado um show nas Ruínas de São Francisco pedindo a reabertura da Pedreira. A proibição faz com que Curitiba fique fora do roteiro de grandes shows.

Entendo que um show na pedreira pode causar algum transtorno aos moradores da região, mas será feito um ou dois shows por ano e a organização pode minimizar os problemas. Muito pior é ter que conviver com uma escola de grande porte, que gera diariamente um fluxo enorme de veículos e a gritaria da criançada. Felizmente ainda não chegamos ao ponto de proibir o funcionamento das escolas, mas vai saber...

Quem quiser ouvir a matéria feita pela CBN pode acessar http://www.cbncuritiba.com.br/arquivo/download/20101213_3044_reabertura_pedreira_rp.mp3

O crescimento da cidade na lente de Stocchero

Vou postar uma notícia interessante, mas sei que preciso voltar a escrever, pois o blog tá meio abandonado. Hoje não vai dar tempo, mas até o final do mês eu coloco tudo em ordem.

Cento e vinte imagens que traduzem o crescimento urbano de Curitiba a partir de meados da década de 50. O trabalho foi feito pelo fotógrafo Synval Stocchero de 1940 até 2007, poucos meses antes de seu falecimento, e agora está reunido numa exposição organizada pela diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Cultural de Curitiba. A mostra abrirá na quarta-feira (15), às 19 horas, no Salão Paranaguá, do Memorial de Curitiba. A entrada é franca.

“Curitiba na Mira do Fotógrafo” cristaliza para sempre uma cidade que cresce, se moderniza e mira o futuro. Além da exposição, será feito o lançamento de uma edição especial do Boletim Casa Romário Martins com o material exposto.

O trabalho do Patrimônio Cultural começou em 2009 com os originais do trabalho do fotógrafo, cedidos por sua família. Integrado ao acervo da Fundação Cultural de Curitiba, a Coleção Synval Stocchero, hoje composta por aproximadamente 400 imagens, enriquece o patrimônio formado por importantes coleções já preservadas.

“Com ações como essa, a Fundação Cultural reafirma seu compromisso com a difusão do patrimônio cultural da cidade e traz à apreciação pública um material inédito de um legado que, certamente, promete ainda muitas descobertas”, afirma a pesquisadora Maria Luiza Baracho.

Serviço

“Curitiba na Mira do Fotógrafo” - Synval Stocchero
Data: 15 de dezembro (quarta)
Horário: às 19 horas
Local: Salão Paranaguá - Memorial de Curitiba
Endereço: Rua Claudino dos Santos, 79 - Largo da Ordem, Setor Histórico.
Visitação: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 15h.
Entrada franca

http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/o-crescimento-da-cidade-na-lente-de-stocchero/21404

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Poema dos Bairros.

O comediante Fábio Lins criou um poema em que cita diversos bairros de Curitiba, pra não falar todos.

Já havia escutado falar, mas nunca havia visto, lido ou ouvido tal criação. Também sempre pensei em colocar isso no blog, mas sempre esquecia de procurar.

Esses dias garimpando porcarias na net encontrei o vídeo e vou postar aqui para quem quiser ver.



Alguns bairros são tão camuflados que nem todos os curitibanos vão entender. Para quem não conhece bem a cidade vai ser mais complicado ainda, mas confesso que achei um belo exercício de criatividade.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Ilha do Mel - Transporte

“Essa é a barca para a Ilha do Mel, essa é a barca para Ilha do Mel, a barca para Ilha..” A música grudenta e o cheiro de diesel embalou a nossa primeira ida para a Ilha, há uns quatro anos. Partimos de Paranaguá, a barca demorou mais de duas horas para fazer o trajeto e a experiência foi meio traumatizante.

Curiosamente, depois desse fato já estivemos às portas da Ilha duas vezes com barco privado. Com uma lancha potente, o trajeto entre Paranaguá e a Ilha do Mel demora menos de vinte minutos. Se partir de Pontal do Paraná, em cinco minutos você estará na Ilha. Mas com a vida não é feita de Phantons e iates, vamos ao meio de transporte para mortais.

Há duas maneiras de entrar na Ilha do Mel: por Nova Brasília e por Encantadas. Novamente, vamos nos restringir a Nova Brasília.

Os barcos de Pontal do Paraná saem a cada hora durante a semana e a cada trinta minutos nos finais de semana. A primeira barca sai às 08:00. A última, às 18:00 horas. O tempo de travessia é de cerca de trinta minutos. O preço da passagem ida e volta é de R$ 23 reais. Se você for de carro até Pontal, contabilize ainda o preço do estacionamento, que custa cerca de R$ 15,00 a diária.

Já o barco de Paranaguá sai três vezes ao dia: às 09:30, às 13:30 e às 16:30. O preço da passagem é de R$ 28,00 e a travessia dura um pouco menos de duas horas. No entanto, o passeio é bonito, pois passa por vários trechos da Baía de Paranaguá e, ás vezes, é possível até ver botos. Sair de Paranaguá é uma opção interessante para quem vem de São Paulo, pois há um ônibus direto que liga SP a Paranaguá.

Na Ilha, há três tipos de transporte: suas próprias pernas, bicicleta e “táxis” náuticos. Anda-se bastante na Ilha do Mel, pois não há carro. No entanto, a Ilha inteira pode ser conhecida à pé, pois existem trilhas bem sinalizadas. Algumas pousadas têm bikes para alugar e você pode levar a sua para “dar uns rolês” pela ilha. Só se lembre que não há asfalto, então nada de levar a sua speed ou colocar pneus slicks para ganhar velocidade. Quanto aos táxis náuticos, perto do trapiche de Nova Brasília há alguns barqueiros que fazem o trajeto até Encantadas ou até a Fortaleza.

Se você levar muita bagagem, pode contratar um “carreto” para levá-las até sua pousada. Com exceção de Fortaleza e de Encantadas, os preços variam entre vinte e trinta reais.

Deixe o seu sapato de salto, a maquiagem e o pretinho básico em casa, Na Ilha, você não precisará de nada disso.


*Texto da Gi.

domingo, 21 de novembro de 2010

Dicas para enfrentar o espetáculo do Palácio Avenida

Há uns cinco anos, ainda antes de nos casar, estávamos na casa dos meus sogros em uma tarde de domingo. Foi aí que a Gi teve a brilhante ideia: “Vamos ao Palácio Avenida?”. Minha sogra imediatamente assentiu e lá fomos nós três. Depois daquilo, qualquer provação seria fichinha...

O primeiro obstáculo: estacionar. Quase não há estacionamentos baratos na região e quase todos estavam cheios. #Dica01: Vá de ônibus, táxi ou a pé mesmo

Chegamos cerca de uma hora antes do espetáculo começar e ficamos em frente às Livrarias Curitiba. Foi um sufoco. Gente passando, povo se amassando, pessoas mal educadas. A apresentadora do programa da IURD tendo faniquitos em nossa frente...
#Dica02: Chegue cedo (duas horas antes) e procure ficar longe dos locais de passagem de pessoas. Ficar encostado nas cabines de telefone ou nas floreiras é uma maneira de não sofrer com o empurra-empurra (só não suba nas floreiras, ok?)
#Dica03: Vá sem bolsa ou qualquer outra coisa que chame atenção. Pode levar a câmera, desde que ela fique bem presa ao corpo. Vá como se estivesse indo para um show de rock hardcore.

No entanto, existem lugares que permitem uma experiência mais requintada. Às vezes, as Lojas Pernambucanas, que fica em frente ao espetáculo, faz uma espécie de lounge para clientes especiais. Já fomos convidados para um evento desses, não pudemos ir, mas quem foi disse que a vista é espetacular.

Além disso, se tiver sorte de ter algum amigo/contato que tenha escritório na frente (na Galeria Tijucas), dá para alugar ou pedir emprestado. Infelizmente, nossos amigos não possuem salas comerciais no centrão de Curitiba. Mas quem sabe o concierge do seu hotel não tem aquele amigão com sala comercial com vista para o Palácio Avenida?
#Dica04: Tenha contatos

O Hotel Slaviero fica ao lado do Palácio Avenida (busque pela Av. Luiz Xavier – Hotel Braz) e sei que do seu restaurante há vista lateral para o Palácio.

A melhor vista, contudo, é do Hotel Plaza (41 3888-0900). Sei que o HSBC aluga praticamente todos os quartos de frente para fazer camarote. No entanto, o hotel possui restaurante. Não custa dar uma ligadinha para lá para verificar a disponibilidade de quartos ou se há possibilidade de reservar uma mesa no restaurante (nada sabemos sobre os quartos do hotel e a qualidade do serviço).

Bom, se não conseguir uma vista privilegiada, não se incomode e vá com coração livre assistir ao show. É um dos espetáculos mais lindos – e baratos – que Curitiba proporciona a seus visitantes e moradores. As crianças costumam adorar.
#Dica05: Leve água e comida.
#Dica06: Sempre tem um ator global (Lima Duarte, Antonio Fagundes e Luis Mello já participaram) e uma surpresa no final (que não é a queima de fogos).

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O Bondinho da XV

O bondinho da XV é sem dúvida um marco na cidade. Foi inaugurado em 1973, no recente Calçadão da XV. Inicialmente a proposta do bondinho era servir de estacionamento de crianças enquanto os pais iam as compras pelo calçadão.

Com o tempo o bondinho e o Calçadão foram perdendo importânia. Talvez por reações diferentes, mas em ambos os casos o medo fez com que o Calçadão e o bondinho fossem abandonados.

Com o atual resgate do centro o bondinho foi reformado e ganhou uma nova função. Sinal dos tempos, os pais não querem mais deixar seus filhos sozinhos desenhando em plena Boca Maldita, então o que fazer com o bondinho?

A solução da prefeitura foi transformar a peça em uma biblioteca. A partir do dia 20/11 o bondinho passará a emprestar livros a todos os curitibanos para que possam aproveitar a Rua das Flores de uma forma diferente.

Boa leitura.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Ano Novo em Curitiba

O Reveillon em Curitiba não é um evento. Para falar a verdade a virada de ano em Curitiba é quase tão sem graça quanto nosso carnaval.

Recebi um comentário da Simone pedindo dicas e informações sobre o reveillon e fui pesquisar, pois normalmente não passo a virada na cidade, como boa parte dos curitibanos fazem, por sinal.

Uma das maiores queima de fogos de Curitiba é a do Clube Curitibano. O Clube faz uma ceia tradicional, e saborosa, porém um pouco salgada para quem não é sócio.

Outra opção de ceia é no Hotel Bourbon. Normalmente o hotel faz um pacote com algumas diárias e também o jantar e a festa da noite de 31, mas quem quiser poderá optar apenas pelo jantar/baile.

A prefeitura normalmente não organiza festas públicas ou queima de fogos, fazendo com que o a festa não tenha uma coordenação, ficando a cargo de cada morador a decisão de soltar ou não seus rojões.

Para finalizar, a única opção minimamente aceitável que conheço em Curitiba para ver queima de fogos é o Alto da XV. No viaduto do Alto da XV é possível ver o centro e uma parte considerável da cidade e anualmente curitibanos se encontram lá para acompanhar a passagem do ano. Na verdade, alguns curitibanos, pois pouca gente na cidade encara esse "skyline" curitibano e o local não recebe mais que umas mil pessoas.

Pois é, Simone. Acho que o Reveillon em Curitiba pode ser interessante para aproveitar a cidade, mas para ver fogos, definitivamente, não é uma opção das melhores.

domingo, 14 de novembro de 2010

Palácio Avenida

Curitiba é uma das cidades que mais atrai turistas por causa da sua decoração de natal. Nesse ano a programação está prevista para iniciar em 22 de novembro, com a abertura oficial do evento. Porém a cereja do bolo natalino curitibano, o Palácio Avenida, começará apenas no dia 25 de novembro.

A apresentação desse ano terá como tema "Unidos Por um Mundo Melhor" e acontecerão às sextas, sábados e domingos, até 19 de dezembro.

O Palácio Avenida virou atração natalina ainda no início dos anos 90. Era uma forma de promoção do antigo Banco Bamerindus, então proprietário da construção. De lá para cá o evento virou um símbolo da cidade e arrasta uma multidão a cada apresentação.

Vale a pena ver, pelo menos uma vez na vida, sempre com a devida paciência necessária nesses grandes eventos públicos.

Isso é Curitiba.

Bairrismo a parte, se é que isso é possível em um blog sobre uma única cidade...

Curitiba realizou poucos dias atrás sua primeira Corrente Cultural, com 24 horas de shows e espetáculos espalhados pela cidade. Certamente muitas histórias legais e imagens pitorescas aconteceram no período, mas nenhuma representa tão bem Curitiba quanto essa.



Apesar da moldura da foto não ter sido criação minha acho a pergunta pernitente. Qual outra cidade do Brasil as pessoas abririam mão de um degrau de 50 cm em um show para não pisar nas flores do canteiro? Quem chegou antes e conseguiu subir na parte calçada do canteiro o fez, mas é curioso como ninguém invadiu a área das plantas, talvez por medo da reprovação coletiva, talvez por consciência de prevervação do patrimônio público, o fato é que a foto mostra um pouco a cara da cidade, mesmo estando Curitiba tão degradada pelo vandalismo e pichações.

Em público, todo curitibano é ordeiro.

Castello Treviso

A algum tempo fiz um post sobre os restaurantes de Santa Felicidade. Hoje fui até lá por conta de um casamento e a festa aconteceu em um restaurante que não estava relacionado no post anterior, o Castelle Treviso. Fiquei um pouco curioso, pois é a segunda vez que vou ao restaurante, em ambas achei a comida e o atendimento muito bons, mas me dei conta que nunca escolhi o local, pois nas duas vezes eram casamentos.

Chegando em casa entrei no site do restaurante e constatei que não se trata de um restaurante, mas sim um salão de eventos. Não tem um serviço normal, como a maior parte dos restaurantes de Santa que servem o almoço e a janta para clientes "normais". Talvez por isso a qualidade da comida servida seja melhor que a concorrência. Pode ser que o problema seja comigo, ou ainda que não tenha dado muita sorte nos últimos tempos, mas em se tratando de eventos (casamentos, formaturas, etc...) Santa é um sinonimo de certa desorganização e mesmisse, mas isso passa ao largo do Castello Treviso.

Para fechar vale ressaltar que a arquitetura do local é bem legal. Destaca-se por ser um castelo medieval em plena Manoel Ribas. Das dezenas de restaurantes que existem em Santa Felicidade o Castelle Treviso é um dos melhores para uma boa foto.

sábado, 13 de novembro de 2010

Pousadas da Ilha

A Ilha do Mel possui dois centros de hospedagem: Nova Brasília e Encantadas. Este post reúne algumas informações sobre Nova Brasília, pois não conhecemos as opções de Encantadas.

Existem opções para todos os bolsos. Para aqueles mais fundos, a Grajagan aparece em primeiro lugar. A pousada fica na Praia Grande e é uma das poucas que oferece apartamentos com vista para o mar. Isso acontece porque a construção na Ilha é restrita e há empenho de autoridades e moradores em deixar o local com ares rústicos.

Além da Grajagan, boas opções para se hospedar na ilha com conforto é a Pousada das Gêmeas, que já relatamos no post anterior. Silvia, uma das gêmeas, é a simpática proprietária dessa pousada e trata todos como se fossemos de casa (a outra gêmea é dona do ciber café da ilha). Quartos limpos e amplos, redes na varanda, guarda-sol e cadeiras de praia, café da manhã caprichado: vale o preço de R$ 150,00 na baixa temporada.

Outras opções perto da Praia de Fora são as Pousadas Astral da Ilha e Treze Luas. Tudo muito limpinho e perto do mar.

Uma opção mais econômica e “roots” é a Pousada Recanto Tropical, na qual a nossa amiga Helô ficou. A diária é de R$ 40,00 pelo quarto com televisão. Essa pousada fica afastada da praia, quase no desembarque de Nova Brasília.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Ilha do Mel


O motivo pelo qual não pude participar de nenhum evento da Corrente Cultural foi uma viagem a Ilha do Mel.

Conheci a Ilha alguns anos atrás, mas foi apenas uma passagem rápida, menos de um dia e como fui de Paranaguá acabei ficando mais tempo na barca que na ilha. Esse ano foi diferente. Fiquei dois dias e foi pouco.

A Ilha do Mel é realmente um paraíso ecológico. Com um acesso limitado a 5 mil turistas e uma população permanente de pouco mais de mil habitantes ela se transformou em uma espécie de resort tropical a poucos quilômetros de Curitiba. Diversas pousadas se espalham pelas trilhas, as trilhas levam a várias praias e outras atrações. Para gostar da ilha não precisa gostar de praia, eu particularmente não gosto, só precisa gostar da vida.

Para não ficar muito extenso vou dividir o tema em vários posts e também ilustrar com fotos, afinal a Ilha é muito fotogênica.






Barca que faz a ligação entre a Ilha do Mel e Pontal do Sul.


Barco de pescadores. A Ilha tem uma população fixa de aproximadamente mil habitantes.


Entardecer na face oeste da Ilha.


Veleiro navega nas águas calmas entre a Ilha e o continente.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Corrente Cultural

Esse final de semana teremos nossa primeira Corrente Cultural com 24 horas seguidas de atrações culturais. Acho a idéia bem legal e queria muito que ela acontecesse no Carnaval, afinal seria um grande atrativo para impulsionar o turismo de quem não curte a festa pagã.

A Virada Cultural acontecerá em diversos pontos da cidade e dois dos principais palcos serão no Paço e nas Ruinas de São Francisco e sobre esses palcos passarão atrações como Paulinho da Viola, Pato Fu, Arrigo Barnabé, Hermeto Pascoal, Roberto Carlos e outros.

Abaixo colocarei um mapa das atrações da Corrente Cultural e quem quiser acessar o site com a programação completa basta clicar aqui.

Praça Rui Barbosa.

A Rui Barbosa é uma das praças mais conhecidas da cidade. Isso graças ao sistema de transporte de Curitiba que tem na Rui Barbosa um dos principais pontos de início e fim das rotas que cortam a cidade, ou ainda, como ponto de parada de grande parte do ônibus da capital.

Outros atrativos transformam a Rui Barbosa em um ponto neuvrágico curitibano. Sob a praça existe um grande estacionamento público, com preços não muito populares, por sinal. Lá também tem a Rua da Cidadania da Matriz, com vários serviços públicos e de atendimento aos curitibanos, um restaurante popular, que não conheço, mas pelo qual passei esses dias e confesso que cheiro de comida que vinha de lá era extraodinário. Outra opção que existe no local são lojas de produtos populares que preocupantemente vendem uma grande gama de produtos falsificados.

Durante a noite a Rui Barbosa pode ser um local perigoso. Já passei por ali enquanto corria e constatei que, como vários outros locais da cidade, sofre com uma má iluminação, por isso se passar por lá em um horário mais avançado tome cuidado.

domingo, 31 de outubro de 2010

Tripadvisor

Trip advisor e Curitiba

Quem nos conhece, sabe que a prioridade número 1 em nossas vidas é viajar sem as amarras das operadoras. Em virtude disso, viramos fãs do Trip Advisor, que é um site feito por viajantes do mundo inteiro e que traz avaliação sobre hotéis e restaurantes feitos por gente de verdade e que paga pelos serviços prestados. Nas nossas últimas viagens, tentamos conjugar as indicações do Trip Advisor com sites de reservas (Hotwire, Priceline e TravelZoo) e não nos arrependemos.

Hoje resolvi entrar no Trip Advisor para verificar o que os viajantes dizem sobre Curitiba.

Sobre hotéis, o que chamou a minha atenção foi a boa indicação do Tulip Inn de Santa Felicidade. Estive nesse hotel há um pouco mais de um mês e pude verificar que as suas instalações são boas (tem até uma piscina coberta para os mais animados). Todavia, o hotel fica distante* das atrações do centro de Curitiba, mas fica no coração de Santa Felicidade. Vale a pena se você vier para Curitiba de carro ou se quiser conhecer a fundo Santa Felicidade.

*Distante para os curitibanos é algo relativo. Vamos colocar em minutos então: o hotel fica a quinze minutos do centro da cidade.

Outra boa surpresa foi a presença no Nikko Hotel entre os dez melhores. Não conheço o Nikko, mas a sua localização é excelente: perto da rodoviária, do shopping Estação e, para quem quer curtir o que há de melhor na noite curitibana, é colado no Vox (reduto do pessoal +25) e no Zea Mais (restaurante excelente de comida contemporânea).

Ainda entre os top 10 está o Ibis do Batel, que fica na frente do shopping Cristal, dá para ir ao centro a pé, assim como circular na noite do bairro.

Em relação aos restaurantes, novamente vamos nos restringir ao top10: Barolo, Lagundri, Zea Mais, Mustang Sally, Durski, Sapor Itália, Challet Suisse, Yume, Recanto Gaúcho.

Fiquei meio ressabiada com algumas indicações, mas depois vi que algumas foram feitas por apenas uma pessoa. O Barolo é imbatível na questão custo x benefício. Não há lugar mais honesto para se comer com requinte sem deixar todo o salário no couvert. Vale a pena.

Com exceção do Sapor Itália, já fomos em todos os restaurantes acima mencionados e podemos dizer com certeza: há bem mais opções na gastronomia de Curitiba que os locais acima mencionados. Assim, antes de vir para cá, dê uma olhada aqui no blog também!

Por fim, com relação aos passeios mencionados, todos valem à pena.

Conclusão: como os brasileiros não usam tanto o tripadvisor (é bem mais cômodo e menos divertido pedir tudo para o agente de viagens ou na cvc mais próxima) e como Curitiba não é uma tão turística, vale apenas utilizar o tripadvisor como diretriz para os hotéis e passeios. Para a gastronomia, utilize outros meios!

*Texto da Gi.

Parques de Curitiba emprestam livros e revistas aos domingos

Projeto itinerante disponibiliza 300 títulos, de clássicos a gibis
DIMITRI DO VALLE
DE CURITIBA


Você está a passeio num dos principais parques de Curitiba. De repente, depara-se com um carrinho elétrico carregado de livros de literatura que podem ser emprestados gratuitamente.
É assim que funciona o projeto de difusão da leitura na capital do Paraná batizado de Biblioparque. Itinerante, o projeto estreou há uma semana e percorre, sempre aos domingos, os cinco maiores parques de Curitiba.
A ideia é que, até o ano que vem, cada um dos cinco parques tenha seu próprio carrinho elétrico do Biblioparque -hoje há apenas um.
Atualmente, são 300 títulos disponíveis -entre livros, obras infantis, revistas e gibis. O plano é expandir para 1.350 ainda neste ano.
No projeto iniciado no último domingo, o leitor encontrou clássicos, incluindo obras dos brasileiros Machado de Assis (1839-1908) e Guimarães Rosa (1908-1967).
Completam o acervo nomes contemporâneos, casos da chilena Isabel Allende e do Prêmio Nobel de Literatura deste ano, o peruano Mario Vargas Llosa.
Para conhecer melhor o catálogo de obras disponíveis, uma tela interativa instalada nas praças dá acesso à sinopse dos livros.
Dois notebooks também estão adaptados para navegação na internet. No local que recebe o projeto, mesas, pufs e cadeiras são espalhados para que os frequentadores comecem a ler as obras no gramado do próprio parque.

SEM BUROCRACIA
Paulino Viapiana, presidente da Fundação Cultural de Curitiba -entidade idealizadora do projeto ligada à prefeitura-, diz que uma das propostas é oferecer empréstimos sem burocracia.
No Biblioparque, o empréstimo das obras -por até 21 dias- é feito após o cadastramento do interessado e a apresentação de um documento com foto.
A devolução dos títulos não necessariamente precisa ser feita nos parques, aos domingos. O frequentador pode devolver os livros em qualquer uma das 13 Casas da Leitura, espalhadas pela cidade.
"Como esse é um momento de descontração, de lazer e de relaxamento para pais e filhos, acreditamos que seria um bom espaço para incentivar o hábito da leitura", afirmou o presidente.
Segundo Viapiana, o Biblioparque segue o modelo de parques europeus, que instalam tendas para leitura e empréstimos de livros.
Junto ao Biblioparque, o leitor também poderá descarregar pilhas, baterias e celulares usados. O projeto tem parcerias com a Vivo e o Ministério da Cultura.

Fonte: Folha de São Paulo

O quiosque e o despreparo.

Um pequeno post para comentar o despreparo dos proprietários/atendentes de um dos quiosques do Parque Barigui.

Na última sexta-feira estava andando de bicicleta pelo parque e parei em um quiosque para comprar uma garrafa de água. Apesar do movimento moderado e do tamanho minúsculo do quiosque a pessoa que estava no caixa não se deu ao trabalho de me atender e aguardei por volta de 5 minutos para que um funcionário aparecesse do subterrâneo do local para perguntar o que eu queria. Pedi minha garrafa d'água e como estava com uma nota de R$2,00 e outra de R$ 50,00 e a conta havia ficado em R$2,50 apresentei a nota de R$ 50,00. A caixa alegou que não poderia trocar a nota, pois estava sem troco, compreendi e apresentei um cartão de débito para quitar a garrafa. Ela também alegou que não passaria o cartão, pois o valor era muito baixo e que se eu quisesse comprar a água teria que comprar mais alguma coisa. Mesmo sabendo que eu teria apenas R$ 2,00 para pagar pela água, já que todas as outras possibilidades haviam se esgotado, não houve acordo e segui meu caminho, sem a água.

Não vou entrar no mérito se eu estou certo ou se ela tem razão em se recusar a trocar o dinheiro ou passar o cartão, mas como consumidor me sinto no direito de falar que o atendimento do lugar foi uma lástima e que certamente nunca mais comprarei nada lá, como havia feito até então, mesmo indo ao parque com relativa frequência.

sábado, 30 de outubro de 2010

Hamburgueria Barba Negra

Há algum tempo passava pela Vicente Machado e via que a antiga lanchonete do Rocha havia se transformado em algo diferente. Também um restaurante, mas bem diferente do boteco em que lanchava enquanto estava no terceirão, ali na Desembargador Mota.

O Rocha era uma típica lanchonete do centro, aberta provavelmente por um chapeiro e sem nenhum diferencial, apesar da localização privilegiada. Pensando bem, tinha um diferencial sim. No Rocha tinha uma promoção em que um X-Salada com uma Pepsi ficava mais barato que um X-Burger com uma Pepsi e por isso eu sempre pedia um X-Salada sem salada. Era absurdo.

Felizmente o Rocha não existe mais e o ponto está sendo usado com a criatividade e profissionalismo que merecem. Lá foi aberto o Barba Negra Hamburgueria e, diferente do Rocha, o lugar é imperdível.

A decoração é toda baseada em navios piratas, o cardápio não é forrado de opções, mas os poucos sanduíches servidos são diferentes e os que experimentei são muito saborosos. Outro diferencial do Barba Negra é a possibilidade de pedir hamburger vegetariano ou vegan e cervejas de litro.

O lugar também é amigo da bicicleta, ou seja, você pode ir pedalando e largar a bike no bicicletário do restaurante, sempre bem concorrido diga-se de passagem.

O Barba Negra fica na Avenida Vicente Machado, 578 e o telefone é (41) 3322-7506

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Praça do Gaúcho

A Praça é do Redentor, mas todo mundo conhece como Praça do Gaúcho.
Ela fica em frente ao Cemitério Municipal e tem o apelido de Praça do Gaúcho por causa de uma sorveteria inaugurada na década de 50 e que até hoje faz sucesso por lá. Porém o grande atrativo da praça não é o Gaúcho, o cemitério ou os vários bares que estão espalhados nela. O diferencial da praça é a pista de skate.

Reza a lenda que a falta de menção `a praça chegou a nutrir teorias
conspiratórias nos EUA
e teclados e monitores foram quebrados em Iowa.


Inaugurada em 1973 a pista é uma das primeiras do Brasil e celeiro para os skatistas curitibanos. Em 2009 passou por uma reforma e a praça foi modernizada. Câmeras de segurança e uma arquibancada foi construída.


Foto: http://www.felipeeiras.com.br/blog/tag/curitiba/

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Orçamento Curitiba

Por uma ou duas vezes postei no Latitude notícias que davam conta que o orçamento de Curitiba seria votado e que os moradores poderiam participar propondo investimentos.
Semana passada estava ouvindo a Rádio CBN quando escuto uma "boa notícia". Em poucos minutos o número do curitibanos que participavam de uma dessas audiências havia dobrado. O problema era o número de pessoas, que havia passado de 1 para 2.

A piadinha percentual não foi minha, mas do próprio jornalista que acompanhava a sessão. Tragicomédia a parte a notícia serve para mostrar como somos pouco participativos no que nos toca. Mesmo com vários problemas e com a possibilidade de determinar uma parte da verba para solucionar problemas ninguém se enteressa e delegamos toda a responsabilidade aos nosso políticos.

Ano que vem tem mais, e quem sabe, a cidade participe efetivamente das definições do seu futuro.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Esmaltes em Curitiba

O marcador mais esquecido do Blog é o de Compras. Não sou uma pessoa consumista e isso faz com que essa parte do Latitude seja um vácuo até para mim.
A Gi, sempre ajudando no desenvolvimento do blog e que tem mais gosto por compras que eu, me indicou um post de outro blog que se encaixa perfeitamente no assunto compras, pois trata de lojas de esmalte (ok, não sabia que existiam lojas só de esmalte em Curitiba). Não vou reproduzir no Latitude o post, vou colocar apenas um pedaço e quem quiser que acesse o site original.

Oi, meninas! Confesso que procrastinei um pouco para fazer o guia de esmaltes, pois queria algo decente com fotos e endereço de lojas que conheço aqui em Curitiba. Durante a semana não tenho a menor condição de fazer isso. Deixei tudo para o sábado, ou melhor, aos sábados. Tirei dois sábados para ir de loja em loja. No primeiro sábado que sai para tirar fotos, consegui adiantar bastante coisa no Centro. No segundo sábado, passei em duas lojas que faltavam no Centro e fui em outra loja fora (peguei ônibus e tudo). Fui super bem atendida em todas, exceto uma que ficou meio desconfiada, mas normal, né? Sempre pedia para falar com a gerente e em duas falei com os donos (uns amores). Foi bem bacana. No segundo sábado encontrei até uma leitora, a Mayara! Importante: Não é o guia mais completo e muito menos o definitivo. Os comentários estão aí para trocar informações, ok? Importante 2: Os preços estão sujeito a mudanças, tirei as fotos em setembro de 2010. Importante 3: Não ganho nada com isso, fiz de mente e coração abertos. Bom, sem mais delongas e MUITAAAAS fotos!

http://maofeita.com.br/index.php/2010/10/22/guia-de-esmaltes-em-curitiba-pr/

Moradores vão sonhar com o Centro de 2020

No próximo dia 26 de outubro, às 19h, os moradores do Centro, em Curitiba, poderão sonhar com um futuro melhor para o bairro num horizonte de dez anos.

O Seminário Visão de Futuro, terceira etapa da metodologia das Redes de Desenvolvimento Local - iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e Serviço Social da Indústria (Sesi), tem como proposta desenvolver as localidades através da conexão entre pessoas.

No Centro, o seminário tem o apoio da Associação Comercial do Paraná (ACP). O encontro será realizado na sede da ACP na Rua XV de Novembro, 621. Nesse passo os moradores e comerciantes do bairro poderão colocar no papel como sonham o Centro no ano de 2020, de forma que se torne o melhor lugar para se viver.

Para participar das Redes de Desenvolvimento Local do Centro, basta entrar em contato com os agentes pelo telefone (41) 3271-7404, pelo e-mail rede@fiepr.org.br ou pelo site www.desenvolvimentolocal.org.br.

domingo, 24 de outubro de 2010

Ilustre Morador

Em Curitiba é bem difícil ver alguém famosos. Não temos nenhum grande artista do momento andando pelas ruas e nem mesmo as celebridades instantâneas dos BBBs parecem curtir os pinheirais, porém poucos sabem qual é o morador mais famoso da cidade.

Se você pensou em Luis Melo ou Hermeto Pascoal, que até onde sei moram por aqui, digo que você está errado, pois nenhum desses é o morador mais famoso de CWB. Se pensou no Lerner, que ganhou notoriedade internacional nos últimos anos, também errou.

O morador mais ilustre de Curitiba é o Sr. Frio. O Senhor Frio é conhecido no mundo inteiro, mas escolheu Curitiba para morar. Como é muito famosos costuma viajar muito, geralmente a trabalho, mas como todo bom curitibano adora a terrinha. O Sr. Frio é um caixeiro viajante e ganha a vida vendendo sorvetes por ai. Durante os dias da semana ele costuma sair da cidade para levar seu gelado produto para outros lugares, mas são poucos os finais de semana em que ele fique longe da cidade.

Você pode reparar, é normal, você passa a semana inteira andando por Curitiba numa boa, e não vê o Sr. Frio por aqui, mas é só chegar a sexta-feira que ele aparece. Ai você dá uma volta na XV e lá está o Sr. Frio. Uma caminhada no Barigui e pode ter certeza que o Sr. Frio estará por lá. Sobe a Torre da Telepar e quem vai com você? Ele mesmo, o Sr. Frio.


Como vende um produto bem sazonal o Sr. Frio encontra sérias dificuldades no seu ofício no meio do ano e entre os meses de março e setembro ele não arreda o pé da cidade. Fica por aqui mesmo, numa forma de culto, carregando as baterias e registrando na memória as peculiaridades da aldeia que serão tão importantes para aguentar a saudades que sente de Curitiba durante suas viagem de verão.

Então não importa se você é de Curitiba ou de qualquer outro lugar. Pode ter certeza, se estiver aqui durante um fim de semana terá grande chance de encontrar o Sr. Frio pelas ruas de Curitiba.

Bar do Pudim

O Bar do Pudim é um dos mais populares dos bares da Expedição e apesar da "idade" é o mais "jovem". Ele tem um enorme diferencial competitivo para manter a faixa etária dos frequentadores baixa, sua localização.

O Pudim fica na Trajano Reis, próximo ao cemitério Municipal, mas isso não tem nada a ver com o diferencial. O que favorece é a praça que fica entre o Pudim e o cemitério e sua pista de skate muito frequentada por jovem e com outros bares, que aumentam o poder de atração de clientes e entre tantos pequenos bares o Pudim é soberano, tradicional e simples. Vale a pena conhecer , tomar uma gelada e vasculhar o cardápio recheado de porções interessantes.


Praça do Skate, o quintal do Bar do Pudim.

domingo, 17 de outubro de 2010

Curitiba ilustrada

Não conheço o César Lobo e ele não me conhece, mas uma vez tive a sorte de ser desenhado por ele. Foi num projeto profissional, em que a equipe do marketing pediu para ele incluir nossa ilustração nos traços de uma Curitiba futurista. O projeto ficou muito legal, mas infelizmente perdi o desenho.

Por outro lado encontrei na web vários desenhos do ilustrador que retratam detalhes de Curitiba e vou postar no blog, para dar uma colorida.













segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Riachuelo

Passei pela Riachulo na última sexta-feira e fiquei feliz em ver que uma das principais ruas de Curitiba voltou a existir para a população pacífica da cidade.

Quando anunciaram que seria feita uma reforma me aventurei por ali. Entrei na Barão do Rio Branco esquina com Marechal Deodoro e abortei o passeio ainda na esquina com a 13 de Maio. Fiquei realmente preocupado devido ao horário adiantado do passeio.

Nessa sexta vi como a cidade tem capacidade de regeneração. Mais importante que os investimentos feitos é a ciência por parte da população que os risco foram reduzidos. Fecharam bocas de fumo, iluminaram as ruas, pintaram as fachadas e depois disso quem anda por lá não tem mais o assombroso aspecto de viciado em crack.

Possivelmente quem passeava pela Riachuelo na noite de sexta eram as mesmas pessoas que andavam por lá a alguns meses atrás, mas agora vistas sem a lente do medo e da violência.

sábado, 2 de outubro de 2010

O amargo reinado do prefeito curitibano.

Estamos a menos de 24 horas da eleição e esse é o primeiro post sobre o assunto. O motivo é simples, não tive vontade de escrever sobre política e tão pouco tenho vontade de votar amanhã (a única exceção é para deputado federal que votarei no Cristiano Dionísio - 1255, com orgulho).

Depois de muita água passar por debaixo da ponte vejo uma situação indefinida para governador do estado. Acredito que a eleição será decidida no primeiro turno, independente de quem ganhe, pois não existe uma terceira força para dividir opiniões, e o que me parece é que o Beto Richa está em uma situação que não imaginava nem em seus pesadelos mais tenebrosos.

Em abril Beto largou a prefeitura de Curitiba, após ser reeleito por mais de 60% dos voto e estar com uma aprovação elevadíssima, para uma vitória fácil na corrida pela cadeira do Requião. Faria uma campanha serena, usaria a vitrine eleitoral para se posicionar como gestor moderno e inovador e alimentaria perspectivas no cenário nacional, após uma gestão profissional do Paraná.

O que ninguém imaginou é que Beto teria pela frente um abacaxi ácido. Quando o Lula entrou de peito aberto na campanha do Osmar Dias os percentuais de votos dele começaram a cair e chegaram a um nível em que as pesquisas, sempre alidadas da sua gestão, viraram um grande problema. A campanha do tucano pediu a impugnação das amostras e uma à uma elas passaram a ser escondidas da população.

O Desgaste pode não custar votas, mas fatalmente custou caro a imagem de bom moço de Beto. De lider emergente e gestor moderno Beto passou a carregar a imagem de político provinciano, quase um coronel das araucárias, e por várias vezes nos últimos dias teve seu nome ligado ao termo censura.

Acho complicado ele recuperar sua imagem nesta eleição, pois como disse antes não acredito em segundo turno. E se não vencer as eleições Beto ficará sem qualquer vitrine até 2014, pois acho que um recuo e uma nova canditura para prefeito de Curitiba seria outro tiro no pé. Dessa forma, em perdendo as eleições, Beto estaria enterrando a mais promissora carreira política do Paraná.

Não teria sido melhor lançar o Gustavo Fruet candidato?

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Curitiba do Passado.

No começo do mês achei um vídeo sobre Curitiba feito em 1949. Revirando o Youtube achei algo um pouco mais antigo e melhor que o anterior.

Estou postando um vídeo da década de trinta em que se pode fazer um exercício legal de identificação da cidade. Achei a Santos Andrade, Catedral, Carlos Gomes e o Paço, mas para um bom observador muitos outros lugares da cidade saltarão na tela.

Maneko's

O Maneko's é um bar ao melhor estilo botecão. Fica na Osório, se não me engano na Ermelino de Leão, mas realmente não lembro o nome da Rua.

Foi a parada mais inusitada da Expedição, pois não constava no plano original. Paramos lá para compensar a compensar O Torto que estava fechado e acabamos descobrindo um senhor boteco.

De todos os bares em que a Expedição parou, sem dúvida o Maneko's era o mais boteco. Tem cerveja no balcão, estufa de salgados, mesas de boteco e o mais legal, diversas fotos e recortes de jornal antigos, que mostram como era Curitiba há muito tempo atrás.

A Expedição pretendia visitar os bares mais tradicionais da cidade. O critério de seleção eram bares com mais de 30 anos e o Maneko's não tinha esse perfil, mas ao entrarmos lá encontramos o bar que provavelmente mais celebre a cidade.

Valeu muito a pena e vale voltar para apreciar o local e curtir as paredes com mais calma.

domingo, 26 de setembro de 2010

Ginásio do Tarumã.

O nome é Ginásio Professor Almir Nélson de Almeida, porém é mais conhecido como Ginásio do Tarumã e bem que poderia ser chamado de Ginásio do Trauma, por sua acanhada estrutura, que traumatiza quem está acostumado ao mínimo de conforto.

O Ginásio do Tarumã é a única praça esportiva da cidade para receber jogos de volei, basquete ou qualquer outra competição praticada em lugares fechado, mas está longe de ter uma estrutura adequada.

Recentemente foi palco de uma série de amistosos entre Brasil e Polônia e é possível que só tenham vindo para cá por causa da ligação que a Polônia tem com Curitiba.

Fui assistir a um dos jogos e é triste falar, mas na minha opinião a única solução para o ginásio é a reconstrução. Além de acanhado, com pouca capacidade, uma única entrada, poucas bilheterias a estrutura a disposição do torcedor é precária, para não dizer inexistente. Pelo tamanho de Curitiba seria essencial que tivéssemos um ginásio compatível para um dia reeditarmos um projeto como foi o time do Rexona.

Torcedora "polonesa" no meio da torcida brasileira.

Jogadores passam a partida em pé. Não havia um banco de reservas para sentarem.

Ainda assim o ginásio estava cheio.

domingo, 19 de setembro de 2010

Desafio Intermodal


No começo de setembro foi realizado em Curitiba o IV Desafio Intermodal. O evento era uma comparação entre várias formas de deslocar-se pela cidade e o objetivo era ver qual o mais eficiente, ou seja, mais rápido. Os deslocamentos foram feitos através de carro, bicicleta, moto, caminhada, van, ônibus, além de um cadeirante e um deficiente visual que fizeram o trajeto individualmente.

O trajeto escolhido era entre a Praça Santos Andrade e o Jd. Botânico, um trecho nada tranquilo do transito curitibano. O desafio não é uma corrida e sim uma medição. Cada participante pode escolher seu trajeto, não existia um caminho definido.

Os resultados foram bem interessantes e conseguiram comprovar o que a organização defendia, a bicicleta é a melhor forma para se locomovor em uma metrópole.

Abaixo estou colocando os resultados.

Pedestre
Masculino 1 1:21:34
Masculino 2 1:09:39
Feminino 1 1:12:15
Feminino 2 1:12:08
Corredor
Masculino 1 43:59
Feminino 1 49:01
Ciclista
Masculino 1 37:20
Masculino 2 (sênior) 38:55
Masculino 3 (atleta) 28:39
Masculino 4 28:50
Feminino 1 40:47
Feminino 2 59:12
Motociclista
Masculino 1 32:36
Masculino 2 37:58
Masculino 3 32:22
Motorista
Masculino 1 1:03:02
Feminino 1 43:30
Feminino 2 54:25
Van
Masculino 1 56:44
Ônibus
Masculino 1 54:04
Masculino 2 1:08:20
Feminino 1 1:08:20
Cadeirante
Masculino 1 1:35:50
Deficiente Visual
Masculino 1 1:45:45

*Graças a preciosa ajuda do Dumke, que volta e meia dá uma dica legal de post.

sábado, 18 de setembro de 2010

Arte na Faixa


Vinte esquinas de Curitiba vão receber neste domingo (19) intervenções artísticas nas faixas de pedestres, feitas por pintores, cartunistas, ilustradores e grafiteiros da cidade. A ação "Arte na Faixa", projeto da Prefeitura Municipal, faz parte da Semana Nacional do Trânsito, coordenada pela Urbs, que começa na sexta-feira (17). O trabalho de pinturas nas faixas é inédito na cidade e envolve arte e educação no trânsito, numa parceria entre a Urbs e a Fundação Cultural de Curitiba.

Mais do que chamar a atenção para a importância das faixas de pedestre, o Arte na Faixa busca contribuir para uma mudança de comportamento dos curitibanos quando o assunto é respeito às normas de trânsito. A ideia é fazer com que as faixas sejam notadas e passem a fazer parte do cotidiano de pedestres e motoristas.

Além da pintura, o projeto inclui ainda um hotsite (www.artenafaixa.com.br) que traz a exposição virtual das obras e também o endereço onde elas podem ser conferidas pessoalmente. Junto, está sendo gravado um mini-documentário sobre a ação.

Para a realização das pinturas foram escolhidos locais de grande fluxo de pessoas em vários pontos da cidade e um sorteio definiu a esquina em que cada artista fará a intervenção. (Veja os endereços no final desta página). A pintura será feita apenas na primeira faixa, perto do meio-fio. Além de ver as imagens o pedestre também verá a mensagem: "Agora que você reparou, atravesse na faixa."

As pinturas começam a ser feitas às 14 horas de domingo. Agentes da Diretran vão orientar o trânsito durante o trabalho dos artistas. Em caso de chuva, as pinturas serão transferidas para o próximo domingo (26). "Curitiba já é uma referência em vários segmentos e queremos que seja também no respeito no trânsito, para que motoristas e pedestres respeitem a faixa", diz Rosângela Maria Battistella, diretora de trânsito da Urbs.

Marili Azim, coordenadora de artes visuais da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), explica que a ação despertou o interesse dos 20 artistas selecionados e que os trabalhos são sobre temas livres. "Convidamos artistas atuantes nas artes visuais, de diferentes gerações e estilos, e eles perceberam a importância de envolver a arte numa ação educativa no trânsito. Isso amplia o impacto da ação", destaca Marili.

Para o ilustrador Raphael Teles, o "Arte na Faixa" é uma grande oportunidade para disseminar cultura pelas ruas de Curitiba. "É uma ideia bacana porque envolve os pedestres e dá para levar a arte para pessoas que não têm tanto acesso a esses tipos de trabalhos", disse.

Marcelo Lopes também está entre os 20 artistas escolhidos para pintar uma faixa. "Achei bem legal o projeto. Primeiro pelo suporte. Você não imagina uma obra de arte no chão. Além disso, o formato da faixa acaba sendo um desafio para a criação."

Já a artista plástica Sandra Hiromoto considera a iniciativa interessante, pois muitas vezes o pedestre nem percebe a faixa no seu cotidiano. "A arte aproxima e proporciona um novo olhar e um novo comportamento". A artista diz que fará um trabalho de stencil art, relacionando objetos cotidianos de casa com objetos urbanos.

Serviço:
Arte na Faixa - Semana Nacional de Trânsito
Data: 19 de setembro, a partir das 14h


Clique aqui para conferir os locais das intervenções e os artistas.

Clique aqui: arte_na_faixa_ruas_e_artistas.pdf

http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/noticias/obras-de-arte-vao-colorir-vinte-faixas-de-pedestres-em-curitiba

Parkour em Curitiba

O post saiu muito em cima da hora, mas vou colocar aqui ao menos como registro.
Acontece hoje e amanhã um encontro entre praticantes de Parkour aqui em Curitiba. Para quem não sabe o Parkour é aquele esporte que o pessoal fica pulando obstáculos urbanos e fazendo acrobacias pela cidade (o vídeo explica melhor).

Cronograma:
18/09 – Praça 29 de Março.
10hrs: Encontro dos traceurs/traceuses, entrega de camisetas e treino livre.
12:00hrs: Almoço.
14:00hrs: Início do treino.
17:30hrs: Fim do treino/descanso.
18:30hrs: Hell Night.

19/09 - Parque Barigui
14:00hrs: Alongamento/aquecimento leve pra melhorar as dores do hell night
15:00hrs: Retirada de tênis e treino leve, brincadeiras, viadagens.
17:30hrs: Encerramento oficial do evento com roda pra trocar idéias/experiências.

domingo, 12 de setembro de 2010

Neve em Curitiba

Sei que o tema é batido, mas já que nunca vi neve em Curitiba, só me resta falar dela. Vou postar um vídeo com fotos feitas em 1975 que achei no Youtube e gostei muito.

Na verdade nunca vi neve, mas quando era criança lembro de uma grande chuva de granizo que caiu e me fez imaginar que aquilo uma grande nevasca.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Curitiba 1949

Achei um vídeo documentário interessante sobre Curitiba filmado em 1949.

Vale o registro histórico, uma cidade bem diferente da que temos hoje, mas com um locutor muito figura.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

A Bisblioteca

Sabem aquela livraria que dá vontade de morar dentro? Aconchegante, com um montão de livros, que você pode sentar e ler sem nenhum vendedor enchendo as paciências? Vocês se lembram da livraria do Mensagem para Você, cuja dona era a Meg Ryan? Hoje, ao entrar na Bisbilhoteca tive a sensação que estava adentrando em um oásis de tranqüilidade e aconchego perto do centro de Curitiba (tá certo, fica no Bigorrilho, mas naquele lugar que deram o nome de Batel Soho).

A Bisbilhoteca é uma livraria infantil supercharmosa, que conta com um cantinho de leitura debaixo das escadas. Além dos livros, às vezes tem apresentações de teatro e contação de histórias.

Se você tem filhos, deseja apenas presentear uma criança com o melhor presente do mundo ou, por fim, se apenas deseja conhecer um lugar legal no “argggghhhh” Batel Soho, a Bisbilhoteca é o local ideal.

Fica na Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1166. Fone (41) 32233038.
Texto da Gi.

domingo, 5 de setembro de 2010

Gonzáles y Garcia

Nossa primeira experiência com o Gonzáles y Garcia foi surreal. Em uma ensolarada manhã de sábado, passamos na frente do restaurante e achamos simpático. Resolvemos almoçar lá.

Sentamos, pedimos o cardápio, sob os olhares desconfiados do público que lá estava. O garçom gentilmente disse que aquilo era uma festa de inauguração e que o cardápio ainda não estava pronto. O garçom deve ter ficado com dó da nossa cara – somos muito tímidos -e nos ofereceu dois chopps grátis. Pronto. Ganhou o cliente.

No sábado passado resolvemos voltar ao local. Cardápio enxuto: grelhados, tapas, sanduíches e paella. Chopp gelado. Melhor paisagem impossível: a Rua Fernando Moreira, mais conhecida como Rua dos Chorões. O preço também é bom. Uma paella para três pessoas custa R$ 48,00 (ago/2010).

Tomamos quatro chopps, dois pratos pequenos e, de sobremesa, comemos churros. Tudo por menos de R$ 60,00, ou seja, uma razoável relação custo/benefício.

Os proprietários do bar são os mesmos de casas conhecidas e tradicionais em Curitiba, como o Taco el Pancho, Peggy Sue e Mustang Sally.

Nos dias de jogo de futebol (quarta-feira) tem carneiro e telões que passam os jogos. Uma boa alternativa para aqueles dias em que não se quer ficar em casa, mas também não se quer ir para a muvuca dos barzinhos.

Gonzales y Garcia
Rua Visconde do Rio Branco, 948 - Mercês (Curitiba)
Fone: (41) 3053-9933
Site: www.gonzalesygarcia.com.br

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

curtacurit!ba




Curta Curitiba é a nova marca para promover o turismo na cidade

A partir deste mês, os turistas que chegarem à cidade conhecerão uma novidade, a marca "Curta Curitiba", que será usada em folhetos de divulgação, ações promocionais e pontos turísticos. A marca foi encomendada pelo Instituto Municipal de Turismo para fortalecer a imagem de Curitiba como um destino personalizado e convidativo e atrair visitantes.

"Ter uma marca é um diferencial competitivo, uma estratégia de marketing para divulgar as potencialidades do destino", diz a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika.

A nova marca foi criada pela agência G8 Design. Antes de elaborá-la, houve uma pesquisa sobre os slogans mais marcantes do turismo mundial, como "I Love NY" (com a palavra love substituída por um coração), de Nova York, nos Estados Unidos, e "I Amsterdam", de Amsterdã, na Holanda.

A expressão "Curta Curitiba" foi escolhida por denotar força e descontração. "Ela transmite ao visitante uma mensagem positiva e o convida para o turismo baseado na experiência e descoberta, mais participativo e menos contemplativo. É uma afirmação da vida curitibana para as pessoas que querem vivenciar a cidade", explica Juliana.

Variações da tipografia também foram exploradas na nova marca. A expressão ganhou modernidade e força ao ser escrita em caixa baixa, com letras sem serifa e na variação bold (negrito).

Para colorir esses elementos, foram usados verde e vermelho, presentes no brasão do Município de Curitiba.
A nova identidade visual também é uma ferramenta para sensibilizar o morador de Curitiba sobre o potencial da cidade de atrair visitantes. Atualmente, Curitiba recebe cerca de 3 milhões de visitantes por ano.

"Até pouco tempo, os moradores não viam tantos visitantes pela cidade, mas isso mudou. É preciso mostrar o quanto o turismo contribui para o desenvolvimento de uma cidade e o quanto é importante bem receber um visitante", diz Juliana.

sábado, 28 de agosto de 2010

Pedalatitude.


Depois da Expedição Latitude pelos bares centrais é bem possível que apareça a Pedalatitude por pontos admiráveis, porém distantes, da cidade.

Obviamente essa não será regada a cerveja, mas sim a mate gelado, bem curitibano.

Apoio ao pedal curitibano.

Complementando o post abaixo vou transcrever um texto publicado no blog curitibacyclechic.blogspot.com.

Nós curitibanos já podemos votar em iniciativas de cunho popular através da internet. Foi lançado o site votolivre.org (www.votolivre.org), que irá permitir às pessoas exercerem a própria cidadania de forma virtual, amparadas pela legislação. "A iniciativa é inédita. Será a primeira vez que os cidadãos vãos poder legislar através da internet, votando em um projeto de Lei com título eleitoral. Isto é uma vitória da cidadania e da democracia", diz o economista Marcos Juliano Ofenbock, um dos idealizadores da iniciativa.

Para votar nos projetos, os curitibanos terão que entrar no site do votolivre.org, preencher um cadastro com dados pessoais e ter em mãos o título eleitoral, informando o número do mesmo, zona e seção. Fazendo isto, eles estarão manifestando adesão a determinado projeto de Lei. "Para que o projeto colocado em votação tenha proposta apresentada na Câmara Municipal, precisamos do voto de 5% do eleitorado curitibano. Isto corresponde a 65 mil pessoas. O site será uma ferramenta para que a população possa exercer a cidadania, votando em ideias e não em pessoas", afirma o advogado Henrique Ressel, que é um dos organizadores da iniciativa.

Lei das Bicicletas (Lei da Mobilidade Sustentada Urbana)

A primeira iniciativa popular que será colocada em votação é a Lei da Bicicleta (Lei da Mobilidade Sustentada Urbana), que institui a bicicleta como modal de transporte regular em Curitiba. A mesma prevê que 5% das vias urbanas sejam destinadas à construção de ciclo-faixas e ciclovias, no modelo funcional, interconectado com a região central.

"Atualmente em Curitiba, as ciclovias ligam os parques, em modelo turístico. A ideia é que a ligação seja em modelo funcional. Votando no site, as pessoas poderão manifestar adesão ao projeto", comenta Marcos. "Escolhemos a Lei da Bicicleta como primeira iniciativa a ser votada porque a bicicleta é um meio de transporte estratégico para o crescimento de uma cidade. Ela é econômica, faz bem à saúde do usuário e reduz a quantidade de monóxido de carbono na atmosfera, pois faz com que menos carros estejam em circulação pelas ruas"

Setembro nos pedais.

O mês de setembro reserva aos curitibanos que gostam de pedalar uma série de atrações e aventuras. Afinal o Arte Bicicleta & Mobilidade está chegando com uma agenda lotada, distribuída em 24 dias da programação.

Curitiba é uma cidade que ganhou respeito mundial por suas inovações na área de transporte, porém não ouvimos nenhuma proposta para a inclusão das bicicletas nesse sistema. Todo mundo sabe que o curitibano é extremamente suscetível aos apelos publicitários, está ai a Família Folhas e a reciclagem de lixo que não me deixam mentir. Então não entendo o motivo pelo qual até hoje não foi feita uma campanha agressiva para que o curitibano opte pelas bicicletas ao invés do carro. Será que o medo da prefeitura é o esvaziamento do transporte coletivo? Será?

Abaixo estou colocando a programação. Quem quiser buscar mais informações pode procurar no http://artebicicletamobilidade.wordpress.com/

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Vizinhança

O curitibano construiu a imagem do indivíduo quieto, calado, sisudo. Batemos no peito e sentimos orgulho disso, afinal além de ser nossa característica é a forma como nos diferenciamos das outras culturas regionais que formam o Brasil.

Alguns levam isso mais a sério que outros. Tenho 31 anos e que me lembre só entrei em duas casas de vizinhos. Isso aconteceu antes dos 14 anos, ou seja, quando eu era criança. Se os meus números de tours vizinhança é modesto a recíproca também é verdadeira. Foram poucos os vizinhos que entraram nas casas que habitei até hoje. No atual apartamento que moro desde 2008, apenas um. O vizinho da diagonal, em um dia de jogo da Copa, pois descobrimos que um dos meus amigos era amigo dele também e no intervalo ele atravessou o corredor, bateu na minha porta e para não ficarem conversando em pé convidamos ele para entrar. Nada que durasse mais que uns 3 minutos, quase imperceptíveis; inesquecíveis. Ou seja, posso considerar que eu NÃO sou um curitibano fechado.

Fechado é o cidadão que mora no apartamento ao lado do meu. Mudou-se há pouco tempo. Tivemos apenas um encontro no elevador e a experiência me fez perceber que esse cara é o embaixador de Curitiba em qualquer lugar do mundo, inclusive na própria Curitiba. O cara foi muito educado, atencioso e mesmo assim conseguiu desperdiçar apenas duas palavras comigo. Isso foi um diálogo completo, algo mais ou menos assim:

- Bom dia.
- Oi.
- Você é meu novo vizinho do terceiro andar.
(Com a cabeça o cara faz sinal de positivo, fechando qualquer porta para um novo comentário).
- Até mais (nessa altura já não vejo mais nenhuma possibilidade de algum cinismo, como foi um prazer te conhecer).
- Tchau.

Esse se supera. Esse é mais que curitibano. Deve ter sido parido na própria praça Tiradentes. Bem no Marco Zero.

Paulo Lemiski faria aniversário hoje.

Se estivesse vivo hoje estaria completando 66 anos um dos mais polêmicos escritores brasileiros. Paulo Leminski, além de apaixonado pela literatura, era um atleticano convicto.

Morto em 07 de junho de 1989, Leminski retratava as lendas urbanas de Curitiba de uma maneira toda característica. Escritor, poeta, roteirista, tradutor e estudioso da cultura nipônica, escreveu inúmeras letras de músicas.

Leminski inspirou vários artistas nas mais diversas vertentes culturais como o filme "Ex Isto", exibido pela primeira vez no encerramento do último Festival de Cinema de Gramado. O filme foi construído a partir do livro "Catatau", do poeta paranaense Paulo Leminski, e de trechos da obra de Decartes. Além disso, vários artigos e dezenas de peças de teatro são baseadas na obra do poeta curitibano.

"Para fazer uma teia num minuto a aranha cobra pouco; apenas um mosquito"
Paulo Leminski

Adaptado da Furacao.com

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Mensagem subliminar no símbolo da URBS.

Achei o vídeo abaixo vasculhando o Youtube. Garanto que não tem nenhum fundamento científico, mas é uma teoria interessante.

Curitiba, volantes e bundas.

Um das coisas que o curitibano mais odeia na cidade são os motoristas. Normalmente e em grande maioria curitibanos como ele.

Grande parte dos curitibanos que dirigem pela cidade se estressam quando tentam mudar de faixa. Aqui a regra é não deixar ninguém entrar e parece que qualquer gentileza é demérito. Uma seta ligada é quase uma ofensa para o motorista que está atrás. O mais rápido possível ele acelera, emparelha o carro e não deixa você entrar.

Hoje estava quase na esquina da Mal. Floriano com a Getúlio Vargas. O sinal estava fechado e eu tentava mudar da faixa da esquerda para a faixa da direita. 5 carros passaram por mim, nenhum parou e todos eles tinham uma coisa em comum. A cara de bunda dos motoristas que se esforçavam para tentar demostrar que estavam distraídos e não haviam me percebido. O prejuízo causado a quem me deixasse entrar seria o de parar 4 metros antes do previsto e perder uma fração de segundos após a abertura do sinal.

Em Curitiba, me parece, isso é um prejuízo enorme.

sábado, 21 de agosto de 2010

Pontos Turísticos de Curitiba

Achei no site http://www.mapa-brasil.com um interessante mapa turístico de Curitiba com algumas atrações destacadas. Estou postando a imagem aqui para facilitar a vida de quem procura um mapa desses.






















Clique duas vezes no mapa para amplia-lo.







* 1. Catedral Basílica Menor de Curitiba
* 2. Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas - Museu de Arte Sacra
* 3. Igreja de Nossa Senhora do Rosário de São Benedito
* 4. Museu Paranaense
* 5. Museu do Expedicionário
* 6. Museu de Arte Contemporânea
* 7. Museu da Imagem e do Som
* 8. Museu de Arte do Paraná
* 9. Museu de História Natural
* 10. Casa Romário Martins
* 11. Solar do Barão
* 12. Palácio Avenida
* 13. Farol do Saber Machado de Assis
* 14. Teatro Guaíra
* 15. Teatro Paiol
* 16. Teatro Universitário de Curitiba - TUC
* 17. Teatro Novelas Curitibanas
* 18. Teatro Fernanda Montenegro
* 19. Ópera de Arame
* 20. Universidade Federal do Paraná
* 21. Passeio Público
* 22. Jardim Botânico Fanchette Rischbieter
* 23. Universidade Livre do Meio Ambiente
* 24. Bosque João Paulo II
* 25. Bosque João Carlos Hartley Gutierrez
* 26. Bosque de Portugal
* 27. Bosque Alemão
* 28. Bosque Reinhard Maack - Tapajós
* 29. Bosque da Fazendinha
* 30. Parque Barigüi
* 31. Parque Regional do Iguaçu - Zoológico
* 32. Parque São Lourenço
* 33. Parque da Barrerinha
* 34. Parque Tingüi
* 35. Parque dos Tropeiros
* 36. Parque Municipal Passaúna
* 37. Parque Tanguá
* 38. Praça Tiradentes
* 39. Praça Garibaldi
* 40. Praça João Cândido
* 41. Praça Borges de Macedo
* 42. Praça Generoso Marques
* 43. Praça Santos Andrade
* 44. Praça 19 de Dezembro
* 45. Praça Rui Barbosa
* 46. Praça 29 de Março
* 47. Praça Osório
* 48. Praça Oswaldo Cruz
* 49. Praça Zacarias
* 50. Praça Carlos Gomes
* 51. Praça Eufrásio Corrêa
* 52. Praça do Expedicionário
* 53. Praça do Japão
* 54. Largo Coronel Enéas - Largo da Ordem
* 55. Relógio das Flores
* 56. Ruínas de São Francisco
* 57. Rua das Flores
* 58. Rua 24 Horas
* 59. Rua da Cidadania
* 60. Torre das Mercês
* 61. Santa Felicidade
* 62. Memorial da Cidade
* 63. Rodoferroviária
* 64. Aeroporto do Bacacheri
* 65. Aeroporto Internacional Afonso Pena

Mapa original em:
http://www.mapa-brasil.com/Mapa_Turistico_Cidade_Curitiba_Brasil.htm

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Bar do Alemão

O Bar do Alemão é o mais conhecido dos bares do Latitude. Um pouco por sorte, pois está no meio do Largo da Ordem, região que não sofreu a degradação de outras áreas da velha Curitiba. Um outro tanto pois o Alemão foi o que melhor explorou seu diferencial.

Hoje o Schwarzwald é um mito nessa cidade. Parada obrigatória para quem vem de fora e um ponto de encontro de quem é daqui. Dos bares programados pela Expedição era o caçula, mas sem dúvida e o que irá mais longe.



Rua Claudino dos Santos, 63 - Convênio com estacionamento da Ordem,
Acesso pela Rua Treze de Maio, 655 - Contato: 41 3223.2585

72 horas sem homicídios.

Curitiba registrou no dia 19 a impressionante marca de 72 horas sem homicídios na cidade.

O termo impressionante nesse caso é o mais negativo possível. Curitiba tem uma taxa de homicídios muito elevada e a última vez que ficamos 3 dias sem mortes violetas havia sido em maio. As ruas daqui já não são seguras e alguns bairros estão com toque de recolher.

Esse é um luto infinito pelo qual a cidade passa.