quarta-feira, 27 de maio de 2009

O que fazer em Curitiba

Me pediram dicas para passar 5 dias em Curitiba. Como fazia tempo que queria organizar as dicas que deram origem ao blog decidi fazer uma reformulação daquele texto e vou postar novamente aqui, agora mais organizado.

O que entendo por Curitiba.

Curitiba.

Somos a maior cidade da região sul (maior que Porto Alegre, apesar de ninguém imaginar isso), o quarto maior PIB do Brasil, temos o melhor ensino entre as capitais e alguns prêmios que deixa todo curitibano muito orgulhoso (recentemente a UNESCO indicou Curitiba como modelo para a reconstrução do Afeganistão, fomos indicadas como uma das 5 melhores cidades da América Latina para investimentos e já fomos indicados pela ONU como uma das 3 melhores cidades pra morar). Apesar disso, achar um curitibano de verdade é bem raro. Da minha família, por exemplo, sou um dos únicos nascido em Curitiba. Na década de 60 a população de Curitiba era de 350 mil pessoas e hoje somos quase 2 milhões.
Curitiba é uma cidade bem planejada. Isso começou junto com a cidade, no século XVI, mas nos anos 70 com o planejamento feito por Jaime Lerner essa virou nossa marca registrada. É incrível que mesmo tanto tempo depois e com alguns prefeitos de oposição o plano continua muito respeitado. Boa parte dos pontos turísticos de Curitiba também são obras do Lerner, que na minha opinião foi o melhor prefeito que já tivemos e o pior governador da história do sul do mundo.

Cultura.
Somos um povo fechadão por natureza. É bem comum um curitibano morar a vida inteira na mesma casa e nunca ter entrado na casa do vizinho ou até mesmo não saber o nome dele. Tenho certeza que para um carioca eu seria bem quieto, mas pra um curitibano eu até que sou bem falante. Acho que isso é por causa da grande quantidade de pessoas do interior do estado que vieram para cá nos últimos anos 30 anos e se depararam com uma cidade grande, mas também pelo que já li desenvolvi a teoria que isso é reflexo de duas guerras que marcaram muito Curitiba. A primeira foi a Revolução Federalista que deixou uma população traumatizada e desconfiada e a segunda foi a Segunda Guerra Mundial, pois existia um grande número de alemães e italianos que passaram a ser discriminados e isso fez com que se fechassem.
Bom, não temos bossa nova, tropicália, etc... O movimento cultural que repercutiu com mais força por aqui nos nossos mais de 300 anos foi o positivismo, cujo o lema é O amor por princípio, a ordem por base, o progresso por fim. A frase ordem e progresso vem daí e isso ainda é bem presente nas nossas cabeças. Realmente achamos que cada um na sua, fazendo o que deve fazer vai levar todos a um lugar melhor.

Economia.
Hoje somos uma cidade bem industrializada. Com várias montadoras, um grande parque de software e muitas outras coisas. Historicamente nossa maior força era na produção de mate, tanto que as duas maiores empresas de mate do país são, ou eram, curitibanas (mate Leão e mate Real). A venda das empresas paranaenses para grupos de fora é outro fator marcante e credito muito dessa culpa ao governo Jaime Lerner.

2 comentários:

Giovanna disse...

hei, depois vc fica me criticando...eu pertenço a sua família e também nasci em Curitiba

Marcelo Lisa disse...

Eu nunca havia escutado falar que Curitiba tinha superado Porto Alegre como a principal metrópole do Sul do Brasil. Espero que isto signifique algo bom porque , quando Salvador superou Belo Horizonte em número de habitantes , eu fiquei foi feliz porque nunca desejei que BH fosse a primeira, segunda , terceira ou quarta capital mais populosa. Prefiro que ela seja a terceira em PIB , disputando o segundo lugar e como menor população. O inchaço das capitais brasileiras , geralmente, vem com muitos problemas sociais. Apesar que a tendência atual é a de que as cidades médias que cresçam e não as capitais. Tomara!