quinta-feira, 21 de maio de 2009

Ruas de Curitiba.

Minha ideia ao fazer o resgate histórico de quem são as personalidades que dão nome as ruas de Curitiba é mostrar quem foram as personalidades importantes para a construção da história da cidade. Porém algumas ruas e praças tem nomes bem curiosos, como vou postar aqui.

Praça Mamonas Assassinas - Fica no Bairro Alto e teve o nome proposto pelo vereador Jair Cezar.

Rua Lápis - O nome pode parecer estranho, mas essa é um homenagem justa. Lápis foi um dos principais compositores paranaenses, se não o maior e a Rua fica nas Mercês. Quem costuma caminhar pelo Barigui passa por ela quando volta da olaria.

Rua EDSON D'AVILA - Ator e Diretor - Concordo em dar o nome de Edson D'avila a qualquer rua de Curitiba, mas precisava colocar esse ator e diretor no nome? Seria muito melhor colocar Diretor Edson D'avila.

Rua Brasil para Cristo - Uma das minhas preferidas. Fica no Boqueirão e tem um nome pra lá de estrnho.

Curva do Tomate - Essa não existe mais, mas ficava na Av. das Torres entre Curitiba e S.J. dos Pinhais. O nome teria surgido, pois no dia da inauguração um verdureiro japonês não conseguiu vencer a curva e tombou com um caminhão de tomates no local.

Av. das Torres - Ganhou esse apelido por motivos óbvios. É um corredor que fica abaixo de torres da rede elétrica. Como a lei proibe que sejam construídas casas a menos de uma determinada distância das torres só sobreu abrir uma avenida larga. Seu verdadeiro nome é Comendador Franco.

Rua Anjo de Luz - Fica na Vila Sandra II. O nome foi escolhido por votação entre os moradores.

Maria do Cavaquinho - A própria definição da rua diz tudo. "Assim como veio, se foi. Não se sabe de onde...". Não sei onde essa rua fica.

2 comentários:

Giovanna disse...

Custo a entender porque deram o nome de Rua Lápis para uma ciclovia dentro do parque. Já perdi a conta de treinos atrapalhados porque tentava descobrir o significado do nome da rua...
O nome de Brasil para Cristo também é estranho...

Marcelo Lisa disse...

Pode ser justo homenagear algum político mas acho que Curitiba não pode perder os nomes tão poéticos que tem em seus parques e lugares turísticos em geral. Eu moro em Belo Horizonte e lamento muito quando vejo quererem "impor" nomes como do nosso aeroporto que é Confins para Tancredo Neves ou fazerem parques novos e chamá-los com nome de promotores que foram assassinados ou de políticos que nunca talvez nem ali pisaram.Gosto de nomes como Bosque alemão, Bosque polonês ou do Papa e mesmo os que têm nomes indígenas , em Curitiba , mas cuja tradução é sempre poética referindo-se à natureza. Em BH no passado as ruas tinham nomes dos Estados, dos rios brasileiros, de poetas etc... mas algumas avenidas com nomes de rios mudaram de nome como uma que homenageia Assis Chateaubriand. Enfim, seria bom que curitibanos fiquem atentos a não mudarem nomes de parques , da Linha Verde, etc porque seria horrível ,um dia, chamarem o Parque Tingui de Parque Lula da Silva ou o Parque Barigui de Parque Fernando Henrique Cardoso.